Primeiras Impressões | Motherland: Fort Salem – Segunda Temporada

O fim da primeira temporada de “Motherland: Fort Salem” nos deixou algumas revelações surpreendentes, mas também muitas dúvidas. Todas as pontas soltas geraram muita expectativa para o segundo ano, e também muita responsabilidade, e acredito que não iremos nos decepcionar. Já nos dois primeiros episódios obtemos algumas respostas, novas perguntas surgem, mas principalmente, é possível perceber a história seguindo por um caminho não tão esperado.

Crítica | Rua do Medo: 1666 – a coroação de uma trilogia de terror

Descobrimos que Tally (Jessica Sutton) pode deixar de ser Anciã, oportunidade oferecida por Alder (Lyne Renée), em agradecimento a ter salvo sua vida, que ela aceita, mas depois vemos que a ligação gerada pela união de suas mentes causa consequências em Tally, que, às vezes, parece obcecada pela General, talvez até viciada. Mas essa fixação dela por Alder pode até ser útil para nos fazer entender quem ela realmente é, mostrar seus outros lados, e responder se ela é realmente confiável.

Com a revelação de que a mãe de Raelle não só está viva como é uma spree, também descobrimos que Scylla (Amalia Holm) não sabia dessa informação, e fica extremamente descontente por ter sido usada para levar Raelle (Taylor Hickson) até a mãe. Percebemos também que Anacostia (Demetria McKinney) está usando Scylla para saber mais dos spree, mas é interessante de assistir essa relação de cooperação forçada se construindo, e gera interesse em descobrir até onde vai.

LesB Indica | Princess Cyd – um clichê com amor de verão

Em meio a tudo isso, ainda tem a grande pergunta, de onde veio o poder gerado por Scylla e Abigail (Ashley Nicole Williams), e mais importante, pode ser reproduzido? Pois, diante das novas circunstâncias, o exército precisa se preparar para enfrentar um inimigo talvez ainda mais poderoso que as spree, o que faz delas uma arma mais que essencial.

Mas acima de todos esses acontecimentos temos uma questão que muda o rumo da narrativa, os Camarilla voltaram, ou seja, os caçadores de bruxas, e não fazem diferença entre o exército e as spree, estão ali para eliminar todas. E isso nos faz cogitar uma possível união entre o exército e as spree, visto que agora possuem um inimigo em comum.

Essa possível união seria um sonho para quem shippa Scylla e Raelle, já que neste início de temporada elas estão completamente distantes uma da outra, e o sentimento ainda está lá, mas Raelle enxerga o que a ex-namorada fez como uma traição, e a sensação é de que não há meios para reconciliação.

A Maldição da Mansão Bly – Dani e Jamie, simplesmente esplêndidas

Os dois primeiros capítulos de “Motherland: Fort Salem” traz muitas respostas para as perguntas deixadas no fim da última temporada, mas também gera questões diante dos novos acontecimentos e revelações. Definitivamente mostra que este ano vem trazendo novas perspectivas das personagens, novos romances, novos personagens e, esperamos, que nosso casal de volta.

Pollyelly Beatriz Florêncio

É estudante de Direito, a doida das séries policiais e de serial killers. Apaixonada por ficção cientifica e tudo relacionado ao espaço. Uma geminiana viciada em conversas regadas a vinho.

Deixe uma resposta