Connect with us

HQs

Cinco quadrinhos com personagens femininas LGBTQIA+

Published

on

O universo das histórias em quadrinhos é um universo recheado de conteúdos diversos: desde tramas sobre super-heróis até narrativas do dia a dia sobre relacionamentos amorosos, amizade, família etc. De certa forma, os super-heróis também exploram esse conteúdo. Entretanto, o ponto aqui é que os quadrinhos não são somente sobre heróis com poderes, afinal, é uma literatura popular rica com diferentes tipos de enredos capazes de prender seus leitores por horas afinco.

Para além disso, muitos leitores começaram nos gibis e nas histórias em quadrinhos. A minha própria experiência teve início ainda na infância, por volta dos cinco, seis anos de idade, em que lia compulsivamente a “Turma da Mônica”. Os mangás também foram fortes influenciadores no meu gosto por leitura – assim como é na vida de muitas pessoas.

Pensando nisso, e sobre como essas narrativas que envolvem imagem e texto costumam ser pioneiras em apresentar personagens que fazem parte dos grupos que chamamos de minorias, que separamos cinco histórias em quadrinhos (com personagens femininas LGBTQIA+) que você precisa conhecer. Confira a lista:

Batwoman: quem é Kate Kane e o que esperar da série do Arrowverse

1. Batwoman

Quando o assunto são histórias em quadrinhos e mulheres LGBTQIA+ é impossível não citar a prima do Bruce Wayne. No ano de 2006, a personagem foi confirmada como lésbica pelos autores Greg Rucka e J.H. Williams e fez sua primeira aparição – nesta sua versão moderna, como é chamada – em “Detective Comics”.

Além disso, a personagem teve seus próprios quadrinhos intitulados “Batwoman” – tanto em Os Novos 52 quanto em Renascimento – em que sua sexualidade não é velada, mas simplesmente parte de quem ela é. Kate tem relacionamentos com outras mulheres e a narrativa vale cada minuto do seu tempo.

2. Fugitivos

Eu sei que você pensou na série! E sim, estamos falando dos quadrinhos em que a produção do Hulu, que está disponível no Brasil pela Disney+, foi baseada. “Fugitivos” conta a história de um grupo de adolescentes que descobrem que seus pais compõem o grupo de piores supervilões do planeta.

Após a descoberta, eles decidem se rebelar contra seus pais e formam seu próprio grupo de super-heróis. Entre eles está Karolina Dean, também conhecida como Lucy in the Sky, que é abertamente lésbica. Somente nas HQs recentes que o romance com Nico Minoru acontece, entretanto, essas edições ainda não foram lançadas em terras tupiniquins.

Runaways é uma série melhor do que você poderia imaginar

3. Melaço

“Melaço” é um projeto de quadrinhos brasileiro que conta com sete histórias curtas e fechadas de amor entre mulheres. O livro é uma colaboração entre Aline Lemos, Bruna Morgan, Dani Franck, Dika Araújo, Jujuqui, Cita Hayata, Manu Negri, mtika e Talita Régis.

As narrativas são um deleite para o leitor recheadas de uma sensibilidade ímpar, momentos de descontração e conquistas, desses quadrinhos que a gente sempre retorna depois de um tempo para ler de novo.

4. Laura Dean vive terminando comigo

Se alguém vive terminando com você, isso é amor? - Editora Intrínseca

Esta não é uma HQ de romance com final feliz! “Laura Dean vive terminando comigo” mostra que na vida, infelizmente, nem tudo são flores. A trama conta a história de Freddy Riley, uma adolescente, que vive um relacionamento conturbado com Laura Dean, que vive terminando com ela e tudo decide na relação.

A trama retrata um relacionamento abusivo entre mulheres LGBTQIA+, assunto ainda pouco discutido dentro da comunidade e que merece nossa atenção.

Resenha | Laura Dean vive terminando comigo – história em quadrinhos destrincha o relacionamento abusivo

5. Lumberjanes

Da mesma criadora de “She-Ra e as Princesas do Poder”, ND Stevenson, “Lumberjanes” é uma série de HQs que conta a história de cinco amigas passando as férias de verão no acampamento Lumberjane. Lá elas enfrentam criaturas sobrenaturais como yetis, lobos de três olhos e falcões gigantes.

A narrativa é recheada de representatividade e conta com duas personagens sáficas que estão em um relacionamento: Molly e Mal Yoo; e uma personagens que se revela transexual durante a edição #17 que ainda não foi lançada no Brasil.


E vocês, gostam de histórias em quadrinhos? Tem alguma personagem favorita desse universo de quadrinhos com personagens LGBTQIA+? Conta para gente nos comentários!


Você sabia que o LesB Out! tem uma revista digital?! Confira clicando aqui!

Karolen Passos é a co-criadora do LesB Out!. Jornalista, marketeira, mestranda sofredora e crítica há mais de dez anos, ela já escreveu para diversos sites. Fã de séries desde Gilmore Girls, a carioca têm mais de 50 títulos interminados na grade atual de séries e uma coleção crescente de quadrinhos (será se já leu tudo?). Hoje mora na Bahia e é mãe de três gatos: Bruce Wayne, o BAT-CAT, Alex Karev, o hiperativo e Meredith Grey, a antissocial.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

HQs

Resenha | Lumberjanes Volume 2: Amizade é Tops!

Published

on

Ficha Técnica
Livro: Lumberjanes Volume 2: Amizade é Tops!
Roteiro: ND Stevenson e Grace Ellis
Desenhos: Gus Allen
Tradução: Guilherme Miranda
Editora: Devir
Número de Páginas: 120
Ano de Lançamento: 2018


Neste segundo compilado de “Lumberjanes” temos a conclusão do primeiro grande arco da história das cinco amigas escoteiras. Conforme comentado na resenha do Volume 1, a HQ foi planejada inicialmente para ser uma história limitada, com apenas oito volumes. Com isso, esse segundo compilado, nomeado “Amizade é Tops”, traz a finalização desse primeiro grande arco da história das cinco amigas escoteiras, indo do volume cinco até o oitavo.

Review | First Kill (Primeira Morte) – Primeira Temporada

Para isso, temos uma expansão da história. Enquanto no primeiro momento o foco era em apresentar as personagens que compõem o grupo principal, e trabalhar a ambientação e os elementos de mistério da trama, agora a aventura fica focada dentro do próprio acampamento, e com isso somos introduzidas a novas personagens, com destaque para Diane, fundamental para a história.

Utilizando bem o ambiente do acampamento, o roteiro consegue explorar as atividades normais de escoteiros e trazer com a maior naturalidade possível as situações mais fantasiosas e caóticas que podemos imaginar. Em um momento elas estão fazendo pulseiras de amizade, de repente, são atacadas por dinossauros e no dia seguinte brincando de pique-bandeira como se nada tivesse acontecido.

É divertido acompanhar como Jen, a monitora da cabana Roanoke, funciona como um compasso para toda a loucura. A principal função dela nesse primeiro momento é questionar (e surtar com) as surpresas escondidas na floresta, enquanto todas as outras meninas apenas se jogam na situação. E tudo isso com o excelente bom humor apresentado pelo quadrinho.

Cinco quadrinhos com personagens femininas LGBTQIA+

Enquanto no primeiro volume algumas histórias pareciam soltas, agora, para a conclusão, as coisas começam a se amarrar. Com novos elementos e mergulhando ainda mais na fantasia, é ótimo acompanhar como as pontas soltas vão se juntando e ajudando a concluir os mistérios deixados abertos. Apesar de uma narrativa simples e muitas vezes com saídas fáceis, a trama flui de forma gostosa de acompanhar. E evitando spoilers do que acontece, pois é uma experiência melhor ler sem saber o que esperar, o rumo que segue é tanto inesperado quanto empolgante.

Mesmo expandindo a história, o centro continua sendo a amizade, o que faz sentido com o título “Amizade é Tops”. Com as personagens já bem estabelecidas, agora temos um pouco mais de desenvolvimento de cada uma, mas, principalmente, de alguns laços, como a amizade entre Jo e April. As duas já possuem uma relação de longa data, muito antes do acampamento, e desta vez conseguimos ver um pouco mais disso. É agradável a forma como a narrativa vai adicionando alguns elementos que reforçam essa ligação mais profunda das duas.

A relação entre Mal e Molly, nosso querido casal, tem certa relevância para a conclusão da trama, entretanto, infelizmente, não temos um avanço no lado do romance. Mesmo assim, como no primeiro compilado, é lindo acompanhar esses momentos das duas, uma relação de carinho, apoio moral e proteção.

Um elemento que é um problema em algumas páginas, tanto desse volume como do anterior, é a coloração em momentos noturnos. Nesse, é possível reparar logo na primeira página, que o fundo perde completamente a perspectiva, parecendo tudo a mesma coisa. Porém, em momentos diurnos, o trabalho da cor é extremamente vivo e traz uma energia extra à aventura. Algumas páginas são uma verdadeira obra de arte, não apenas pelas cores, mas também pelo trabalho de Gus Allen com os desenhos.

Um resumo para chamar de seu: Love, Victor (Segunda Temporada)

“Amizade é Tops” consegue fazer uma excelente conclusão para essa primeira parte da história de “Lumberjanes”, trazendo novos elementos e tornando a imersão nessa loucura nonsense uma experiência ainda mais agradável. Contudo, apesar da cara de conclusão, é muito bom saber que ainda existem muitos outros momentos para seguir ao lado dessas meninas. A partir daqui, não tem como não estar totalmente apegada a cada uma delas e 100% a bordo dessa jornada.


Se você deseja adquirir este livro, compre pelo nosso link da Amazon, pois assim você ajuda a manter o site no ar! Só clicar na imagem abaixo 😉

LesB Nota
  • Roteiro
  • Ilustração
  • Personagens
4

Sinopse

O segundo volume da HQ infantojuvenil mais popular dos EUA chega ao Brasil! Jo, April, Mal, Molly e Ripley não são as típicas escoteiras e o acampamento da senhorita Qiunzela Thiskwin Penniquiqul Thistle Crumpet para meninas da pesada não é o típico acampamento de verão. Entre os monstros do rio, a magia e a arte dos braceletes da amizade, esse verão está só começando. Junto com as Lumberjanes, você vai enfrentar velociráptors e uma rivalidade mítica entre irmãos. Reúne Lumberjanes #5 à 8.

Continue Reading

HQs

Resenha | Lumberjanes Volume 1: Cuidado com o Sagrado Gatinho

Published

on

Ficha Técnica
Livro: Lumberjanes Volume 1: Cuidado com o Sagrado Gatinho
Roteiro: ND Stevenson e Grace Ellis
Desenhos: Gus Allen
Tradução: Érico Assis
Editora: Devir
Número de Páginas: 128
Ano de Lançamento: 2016


“Lumberjanes” surgiu de uma ideia da Boom! Studios de criar algo voltado para o público infanto-juvenil feminino, protagonizado por meninas e com mulheres por trás da produção. Com uma super equipe formada por ND Stevenson, Shannon Watters, Grace Ellis e Gus Allen, essas personagens tomaram vida e o que inicialmente era para ser uma HQ limitada, com apenas oito volumes, cresceu e ficou ativa por anos, encerrando seu ciclo em 2020, depois de 75 volumes e alguns especiais.

Cinco quadrinhos com personagens femininas LGBTQIA+

A história acompanha cinco amigas: Jo, April, Mal, Molly e Ripley durante o verão no acampamento da senhorita Qiunzela Thiskwin Penniquiqul Thistle Crumpet para meninas da pesada. Um acampamento longe de ser normal, onde as amigas acabam caindo em uma aventura sobrenatural com raposas com três olhos, cavernas secretas e muitos mistérios.

Neste primeiro volume, que é um compilado com as quatro primeiras edições do quadrinho, o foco é criar uma ambientação do acampamento e apresentar o grupo principal formado pelas cinco personagens. Somos jogados nessa aventura enquanto descobrimos um pouco mais sobre cada uma, suas principais características, personalidade e habilidades.

Regado com muita aventura e fantasia, “Lumberjanes” tem como ponto principal a amizade das cincos meninas da cabana Roanoke. Um dos grandes trunfos do quadrinho é apresentar essa união feminina, sabendo misturar com elementos que vão chamar a atenção de qualquer criança, mas que também tem um impacto forte para públicos de outras idades. É muito fácil se apegar as personagens já nas primeiras páginas da história, créditos para o roteiro, que consegue facilmente nos envolver e fazer com que a gente consiga se sentir tão próximo delas e dentro daquele universo criado no acampamento.

Um outro ponto positivo e que ajuda bastante nessa aproximação é que temos rostos e corpos distintos, cada uma muito diferente da outra, com criações, origens, comportamentos, modos de vestir diferentes. Isso também se aplica nas suas habilidades e inseguranças; cada membro da cabana Roanoke é parte fundamental para formar esse grupo, cada uma trazendo algo para acrescentar nas aventuras. Isso é apresentado de forma orgânica, em que cada habilidade é fundamental para seguir em frente: como a inteligência e pensamento lógico da Jo, a força física da April, o conhecimento histórico e de quebra-cabeças de Molly, os planos da Mal e a energia de Ripley.

Resenha | Arlindo – HQ é um acalento para a comunidade LGBTQIA+

Com poucas páginas, esse primeiro volume traz uma leitura rápida, leve e agradável, com uma trama simples, misturando aventura e humor afiado, funcionando para todas as idades, tanto adultos quanto crianças. Entretanto, é necessário lembrar que este é um quadrinho voltado para o público infanto-juvenil, e ele entrega isso de forma que, apesar do claro tom mais infantil da história, não traz algo bobo. “Lumberjanes” consegue tratar seu público alvo com dignidade, estimulando a criatividade e curiosidade, fazendo com que o leitor queira fazer parte daquela aventura desenhada em suas 128 páginas.

Um elemento apresentado na edição brasileira da HQ são as observações das mulheres citadas. Por muitos momentos, as personagens falam de grandes mulheres da história em exclamações, como “Pela nossa Joan Jett!”. E na edição brasileira existe um asteriscos em todos esses nomes com informações rápidas sobre aquela pessoa. Algo simples, mas que agrega muito valor para o quadrinho e aumenta a função de estimular a curiosidade de quem lê, que vai querer saber ainda mais sobre aquelas personalidades.

“Lumberjanes” também se destaca por trazer um casal LGBTQIA+ em um quadrinho voltado para um público infantil. Já nesse primeiro volume conseguimos acompanhar o casal formado por Mal e Molly, apesar desse primeiro momento não ter nada que diga diretamente sobre o relacionamento amoroso das personagens, já é perceptível que existe uma relação além da amizade entre as duas. E tudo é tratado com naturalidade, assim como demais temas abordados ao longo da história.

Heartstopper – uma obra sensível e essencial para jovens adolescentes

Mal e Molly estão sempre grudadas, de mãos dadas, com pequenas trocas de carinho e bastante contato físico. O crush na juventude é muito bem representado em ambos os lados desse casal, com momentos fofos e de um cuidado especial entre elas. Apesar da proximidade de todas e a importância da amizade entre elas, o roteiro e, principalmente, as imagens fazem questão de deixar claro uma proteção extra entre Mal e Molly.

Com personagens cativantes, em uma história divertida e uma leitura agradável, “Lumberjanes” é um quadrinho que merece ser lido. Até o momento, a Devir lançou quatro volumes, com o quinto previsto para chegar ainda esse mês.


Se você deseja adquirir este livro, compre pelo nosso link da Amazon, pois assim você ajuda a manter o site no ar! Só clicar na imagem abaixo 😉

LesB Nota
  • Roteiro
  • Ilustração
  • Personagens
3.8

Sinopse

Jo, April, Mal, Molly e Ripley não são as típicas escoteiras e o acampamento da senhorita Qiunzela Thiskwin Penniquiqul Thistle Crumpet para meninas da pesada não é o típico acampamento de verão. Esse é um local onde você pode encontrar raposas com três olhos, cavernas secretas e mistérios em forma de anagrama. Por sorte as meninas são amigonas, iradas e duras na queda, que não vão deixar que nenhuma criatura sobrenatural estrague suas férias. O mistério começa aqui e vai ficar cada vez mais sinistro!
Reúne Lumberjanes #1 a 4.

Continue Reading

.

Resenha | Arlindo – HQ é um acalento para a comunidade LGBTQIA+

Published

on

Ficha Técnica
Livro: Arlindo
Autora: Ilustralu (Luiza de Souza)
Editora: Seguinte
Número de Páginas: 200
Ano de Lançamento: 2021


“Tudo que a gente tem é a gente, Lindo.
A gente não tá errado em existir!
A gente não devia viver com medo de gostar de ninguém, nem de ser a gente mesmo.”

“Arlindo” é um quadrinho, escrito por Luiza de Souza, mais conhecida na internet como Ilustralu. Lançada pela Editora Seguinte este ano, a HQ foi inicialmente publicada como webcomic semanal e alcançou inúmeros fãs que se apaixonaram pela simplicidade e delicadeza da história de Arlindo.

Review | A Roda do Tempo – Primeira Temporada

Ambientada no início dos anos 2000, em que Lan Houses, MSN e videolocadoras ainda eram uma realidade, conhecemos Arlindo, um adolescente cheio de sonhos que vive no interior do Rio Grande do Norte. Enquanto tenta encontrar seu lugar no mundo, ele aluga filmes todo sábado com as amigas, é apaixonado pela dupla Sandy e Junior (sucesso na época) e ainda ajuda sua mãe a fazer doces para vender.

Apesar de todo seu esforço, muita gente não aceita Arlindo do jeito que ele é. Fofocas na vizinha e até mesmo seu pai ser homofóbico, o faz a todo momento lutar para ser quem é e principalmente se entender como um garoto gay. Dessa forma, em cada conflito familiar ou traço feito por Luiza de Sousa, é possível perceber que Arlindo carrega consigo um sentimento muito comum por pessoas LGBTQIA+: o preço da perfeição para compensar algo.

Enquanto o adolescente luta contra seus próprios demônios, ainda existe duas personagens secundárias que foram muito bem exploradas na história: Lis e Mari. À medida que Arlindo desenvolve sentimentos pelo seu novo amigo de escola, ambas as personagens vivem suas próprias histórias, e esse desenvolvimento das duas e descobertas só tornam a narrativa ainda mais fabulosa. A autora soube guiar a narrativa de forma que todos os personagens, principais e secundários, tivessem espaço e relevância na trama.

Review | Motherland: Fort Salem – Segunda Temporada

Um ponto a destacar da HQ são as cores vibrantes que destacam perfeitamente a mensagem que a história quer passar: sobre amizade, amor, família e, principalmente, sobre não estar sozinho no mundo. Além disso, “Arlindo” apresenta personagens cativantes e uma trama encantadora sobre aceitação de si, mesmo em um ambiente hostil que não te deixa florescer.

Ademais, vale ressaltar que os traços e as expressões dos personagens são bem críveis e existe uma importância da música para a construção do cenário. As letras das músicas de Sandy e Júnior aparecem inúmeras vezes para demostrar os sentimentos de Arlindo, da mesma forma que canções de Pitty exprimem a emoção e envolvem o leitor quando se trata do relacionamento secundário entre Lis e Mari.

A verdade é que Luiza de Souza criou uma história melancólica e, ao mesmo tempo, deliciosa de se acompanhar. Na mesma proporção que você se apaixona pela história de Arlindo e Lis, você consegue sentir cada tristeza que, às vezes, acontece na vida dos dois. É triste perceber que Arlindo não consegue ser ele mesmo pelo medo da rejeição e mais doloroso ainda o fato dele não conseguir se afastar do que o faz sofrer, porque é seu pai, e não é o tipo de amor que simplesmente deixa de existir.

LesB Indica | Ligadas pelo Desejo – filme com mulheres LGBTQIA+ criminosas

“Arlindo” é uma HQ que apresenta uma história carregada de sentimento que te faz apaixonar por toda atmosfera criada e te faz ansiar por mais. É uma leitura para guardar no bolso e carregar consigo, pois ela sempre te fará lembrar que você não está sozinho, porque, assim como Arlindo tem sua tia Amanda (que é lésbica) como acalento, você encontrará alguém que vai te amar do jeitinho que você é.


Obs.: livro cedido pelo Grupo Companhia das Letras para resenha.


Se você deseja adquirir este livro, compre pelo nosso link da Amazon, pois assim você ajuda a manter o site no ar! Só clicar na imagem abaixo 😉

Continue Reading

Bombando

%d blogueiros gostam disto: