Review | Ninguém Mandou (Get Even) – Primeira temporada

Baseada no livro “Don’t Get Mad” de Gretchen McNeil, “Ninguém mandou” (Get Even) é uma série britânica do canal BBB iPlayer e distribuída no Brasil pela Netflix, focada na trajetória das quatro protagonistas, Kitty (Kim Adis), Margot (Bethany Antonia), Olivia (Jessica Alexander) e Bree (Mia McKenna-Bruce).

LesB Indica | Casamento de Verdade – história fictícia com traços de realidade

A história da produção se passa no colégio de elite Bannerman e já de início tem a mesma premissa observada em outras séries de suspense e adolescente, como “Pretty Little Liars” e Control Z: assassinato, mentiras e um grupo de adolescentes se metendo em confusão.

Kitty é a típica garota que se sente pressionada pelos pais em ser a melhor em tudo; Mia é a rica que faz de tudo para chamar atenção do seu pai, sempre se metendo em problemas e faltando aulas; Margot é introvertida e de poucos amigos e totalmente nerd da informática e por último, Olivia é a típica patricinha que todos acreditam que tem a vida perfeita.

Crítica | Summerland – clichê sáfico para aquecer o coração

Nesta série, as quatro garotas formaram um grupo para expor os valentões da escola e se vingar, o GDM (Don’t Get Mad ou tradução péssima na série: “Gente deu mole”). De primeira, ninguém sabe o que as motivou a formarem o GDM e o mais interessante está no fato de que para o mundo cheio de aparências, elas vivem em universos completamente distintos e são apenas conhecidas, mas no íntimo são um grupo de colegas com um objetivo em comum.

Lesb Indica | Tempestade na Estrada – longa-metragem sutil e divertido

O primeiro alvo das garotas foi o treinador da escola, depois foi o adolescente (típico que se acha a última bolacha do pacote), Ronny (Joe Flynn) que expôs fotos íntimas da melhor amiga de Kitty. Entretanto, as coisas saem do controle e o personagem de Flynn morre e para piorar, quem o matou está incriminando o GDM. Sendo assim, Kitty, a chefona; Olivia, a princesa; Margot, a gênio e Bree, a rebelde, começam a investigar na tentativa de encontrar o assassino.

Paralelo a isso, a produção trata da descoberta da sexualidade entre Olivia e Amber (Razan Nassar). As duas garotas, que são populares na escola, demonstram uma amizade nada convencional e até um pouco controladora, pois não sabem lidar com seus sentimentos e na segunda temporada (se tiver), é esperado que este relacionamento seja melhor desenvolvido.

Resenha | Pretty Little Liars 1 – Maldosas

De modo geral, “Ninguém mandou” cumpre o que promete e entrega um suspense teen agradável. A série que possui 10 episódios com média de 30 minutos, consegue apresentar dois assassinatos em uma única temporada e ainda solucioná-lo, como também ainda insere outros temas como bullying, sororidade e adolescentes pressionados/descontrolados.

Bruna Fentanes

Bruna Fentanes

Baiana, designer e estudante de jornalismo. Acredita que vive em seu próprio conto de fadas e se divide entre suas duas obsessões: livros de romance e séries teen.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *