Resenha | Rainhas Geek – obra literária recheada de nerdices

Ficha Técnica
Livro: Rainhas Geek
Autora: Jen Wilde
Tradução: Débora Isidoro
Editora: Planeta
Número de Páginas: 252
Ano de Lançamento: 2018


“Rainhas Geek” é o único livro da autora Jen Wilde publicado no Brasil. Narrado em primeira pessoa, nas perspectivas de duas garotas, a obra conta a história de três amigos, Charlie, Taylor e Jamie, que juntos sobrevoam o oceano que separa a Austrália dos Estados Unidos, para participar de uma convenção de cultura pop, a SupaCon.

LesB Saúde | Saúde Mental e a bissexualidade

Charlie é uma atriz em ascensão, assumidamente bisexual e com orgulho, é conhecida por seu canal no YouTube, e está no evento para divulgar o novo filme que protagoniza, The Rising. Para ela, a convenção é sua chance de desassociar sua imagem à do relacionamento que tiveram com Reese Ryan, o outro protagonista do filme e metido a galã.

Já Taylor é uma garota fora dos padrões socialmente impostos às mulheres. É gorda, usa roupas compradas na seção masculina, arrota, fala palavrões, não faz as unhas e de quebra ainda tem um undercut. Mas nada em sua imagem lhe incomoda. O que lhe aflige de fato é sua timidez elevada ao extremo; é se sentir num pânico profundo toda vez que pensa na possibilidade de mudar de país para fazer faculdade, ou ainda pior, não ser aceita na UCLA e não conseguir acompanhar os melhores amigos na nova fase de suas vidas. E ainda tem sua paixão não tão secreta, porém carregada de insegurança, pelo seu melhor amigo Jamie. Para Taylor, a SupaCon é a chance de conhecer sua escritora favorita e a partir daí, ter coragem para enfrentar todas as mudanças que estão por vir.

“A ansiedade não é um ataque que explode de dentro para fora em mim; não é um vulcão que permanece inativo até ser despertado por um evento que sacode a terra. É uma companheira constante […] Minha ansiedade é invisível para os outros, mas muitas vezes é o foco da minha mente”.

Mas os planos das protagonistas de Jen Wilde vão por água abaixo num instante. Os de Taylor, quando Skyler Atkins, autora de sua série preferida, precisa deixar o evento mais cedo, antes que a garota tenha a chance de conhecê-la. Os de Charlie, quando Reese Ryan aparece para fazer a divulgação do filme ao seu lado, o que gera margem para rumores que os dois reataram o romance se espalhem. No entanto, mesmo nas adversidades, as duas enfrentam suas próprias inseguranças. Taylor se vê num concurso de cosplay que pode ser sua única chance de ainda conhecer Skyler; e Charlie tem que superar os traumas de seu relacionamento anterior ao se entregar a uma nova paixão pela atriz e também Youtuber, Alyssa Huntington.

Pro Mundo (Out!) | Kat Edison – uma trajetória definida pela palavra descobertas

Uma das coisas mais interessantes em “Rainhas Geek” é a naturalização que a autora aborda a bissexualidade de Charlie, sem marcação, drama, nem peso social tão presentes em outras obras. Jen Wilde aborda temas sensíveis como ansiedade, ataques de pânico, relacionamentos abusivos, autismo, pressão estética, todos de forma delicada e cuidadosa. A amizade e parceria do trio Taylor, Jamie e Charlie é fascinante. Uma relação de suporte e apoio, amigos que ficam felizes pelas conquistas uns dos outros, que não se julgam e sem ciúmes. Garotas que se apoiam é outra temática recorrente.

A estética do livro, com o corte das folhas arredondados, é quase tão perfeita quanto as referências geek que aparecem nos diálogos das personagens (“Indiana Jones”, “Batman”, “Star Wars”…), afinal, o que esperar de um livro chamado “Rainhas Geek”, senão “nerdices”?

Shirley Pinheiro

Caririense com orgulho, é graduanda em Letras pela Universidade Regional do Cariri, mas "com diploma de sofrer de outra universidade". É amante de séries, livros, música e poesia. E o que lhe dá prazer é estudar literatura nordestina, ouvindo Belchior e tomando um delicioso suco de manga.

Deixe uma resposta