LesB Indica | Anyone But Me – websérie sobre relacionamento e distância

O ano 2008: celulares flips e o começo das redes sociais; e neste momento foi criada a websérie “Anyone But Me”. A produção idealizada por Susan Miller e Tina Cesa Ward foi inicialmente disponibilizada na plataforma Strike.TV,mas logo estava disponível gratuitamente no Youtube.

LesB Indica | Ammonite – longa-metragem importante e necessário

Em “Anyone But Me”, a história de Vivian (Rachael Hip-Flores) e Aster (Nicole Pacent) é contada. As duas, com um relacionamento estabelecido, tem que lidar com um grande problema: Vivian e seu pai vão se mudar de NY para morar com a tia em Westchester e as duas vão ter que se acostumar com a distância. Não é algo fácil, principalmente porque Vivan parece extremamente oposta a mudança. O motivo é a qualidade de vida, já que seu pai era um ex-bombeiro que sofre de uma doença respiratória em decorrência da poeira dos escombros do World Trade Center. De volta a NY, Aster tinha suas próprias questões para lidar, como o total descaso dos seus pais por ela.

Harley Quinn – queda, ascensão e liberdade

O empecilho de manter o relacionamento à distância é grande, pois com isso, vem outros problemas: a insegurança de Aster e o medo de rejeição/homofobia de Vivian. O receio de Vivian de falar sobre sua sexualidade, em especial para sua tia, vira um problema na relação também.

Em Westchester, Vivian faz amizade com Archibald além de reencontrar uma amiga da infância, Sophie. Archibald é um artista tranquilo, a amizade entre os dois vem fácil e Vivian consegue confiar nele pra contar sobre seu relacionamento com Aster.

A segunda temporada da série expande as histórias além do casal principal, passando a mostrar as histórias pessoais de Sophie e Archie. Durante a produção, Vivian e Aster tem várias idas e vindas. A distância era um empecilho que sempre trazia junto outro problema. Já na terceira, há um amadurecimento da relação delas, além de falarem sobre seus planos e promessas para o futuro.

Resenha | Rainhas Geek – obra literária recheada de nerdices

Na época em que foi lançada, não havia muitas outras produções do gênero, em especial no YouTube. Foi algo novo e muito representativo para várias jovens mulheres LGBTQIA+. “Anyone But Me” ainda conta com a participação especial da atriz Lisa Weil (“Gilmore Girls”, “How to Get Away With a Murder”).

A websérie tem três temporadas com uma média de dez episódios cada uma e estão disponíveis no YouTube, porém somente com legendas em inglês. Além dos capítulos completos, no canal existem vários extras como “lost scenes” e um especial que foi feito com os artistas dez anos depois do lançamento.

França Louise

França, 25 anos, fã incondicional de Grey’s Anatomy. Mora em SP mas ama viajar. Viciada em livros de fantasia e romances policiais, espera um dia poder ter tempo de colocar a suas leituras e séries em dia.

Deixe uma resposta