Resenha | Laura Dean vive terminando comigo – história em quadrinhos destrincha o relacionamento abusivo

Ficha Técnica
Livro: Laura Dean vive terminando comigo
Autor:
Mariko Tamaki
Ilustração: Rosemary Valero-O’connell
Editora:
Intrínseca
Número de Páginas:
304 páginas
Ano de Lançamento: 2020


“Laura Dean vive terminando comigo” é uma história de romance, mas sem muita felicidade no meio do caminho. A HQ traz a relação conturbada de Freddy Riley com Laura Dean, mas nada parece muito bem nesse relacionamento. Desde que as duas resolveram estar juntas, Laura Dean vive terminando com Freddy. Elas vivem em um vai e volta em que a única que pode escolher é Laura.

Freddy se vê presa nessa relação, pois tudo que ela sente pela namorada, apesar de ser machucada o tempo todo, é amor. Ela não entende o porquê, os amigos não entendem o porquê, a família dela não entende o porquê. Não que Freddy devesse alguma explicação a alguém sobre o que faz ou deixa de fazer da sua vida, mas o fato é que ninguém compreende o motivo que ela ainda insiste em um “amor morto”.

Resenha | Garota, mulher, outras – uma verdadeira aula sobre identidade, raça e classe

Depois de pegar uma traição, todos pensam que é o fim, mas não. Freddy derrete assim que tem contato com Laura e isso parece um imenso ciclo tóxico. Ela está machucada, se sente machucada, mas também sente que se afastar da amada talvez fosse machucá-la mais. Em algum ponto ela cogita a poligamia até entender que ela não quer um relacionamento com várias pessoas, ela só não quer que Laura vá embora.

Laura se aproveita dessa ligação que elas têm. Em vários momentos ela deixa claro que é diferente e que sempre voltarão uma a outra. E em um retrato claro de um relacionamento abusivo, Freddy realmente está sempre esperando a amada voltar para ela.

LesB Indica | A Criada – longa-metragem sul-coreano foge do “comum” em filmes sáficos

A história em quadrinhos traz nos traços e expressões o quanto esse relacionamento afundou a vida de Freddy. As ilustrações em que ela está sozinha no quarto pensando na namorada passam para o leitor um sentimento misto de solidão e agonia. É impossível não se sentir imerso na realidade de sentimentos em que ela está se afundando. As palavras vão ficando mais frias, o contato de Freddy com seus amigos vai ficando mais raso, o mundo dela vai ficando mais denso. É como se durante a leitura fosse possível estar no lugar da protagonista.

A gota d’água acontece quando Freddy percebe que não só se perdeu nesse relacionamento, mas também todas as pessoas que queriam ajudá-la. Com uma leitura leve, porém com ilustrações que passam sentimentos muito mais fortes do que qualquer palavra poderia expressar, a narrativa traz para discussão que qualquer relacionamento pode se tornar abusivo, até mesmo entre mulheres e que a libertação desse ciclo tóxico pode ser transformadora.

Pro Mundo (Out!) | Maya Bishop é a face que “quase” nunca recebe empatia

Quando Freddy finalmente consegue terminar a relação, ela se sente livre e melhor do que nunca. As ilustrações, mais uma vez, foram capazes de passar a sensação de liberdade e alívio que a menina sente quando se vê finalmente distante do que a fazia mal. Freddy não estava presa porque queria, ela estava presa porque Laura a fazia acreditar que tudo o que elas tinham era especial demais para ser “jogado fora”. E por conta disso, por um ano, Freddy jogou fora o que ela tinha de mais especial, ela mesma.

Monica Gabrielly

Monica Gabrielly

Monica Gabrielly é estudante de Pedagogia. Amante das séries de TV e não perde um episódio de Legends Of Tomorrow. Ela vive na Cidade Maravilhosa, Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta