Resenha | The Prom: a festa de formatura – É hora de construir uma festa para todos!

Ficha Técnica
Livro: The Prom: a festa de formatura
Autor: Saundra Mitchell (tradução de Isadora Sinay)
Editora: Alt
Número de Páginas: 256
Ano de Lançamento: 2020


Como uma grande fã de “The Prom”, a vontade de ler o livro baseado no musical da Broadway surgiu imediatamente quando ele foi lançado nos Estados Unidos, no ano passado. Agora, impulsionado pelo lançamento do filme na Netflix, finalmente “The Prom: a festa de formatura” chegou as prateleiras nacionais no último dia do mês de outubro.

“The Prom” tem uma história necessária. Importante. Um soco no estômago, mas que, ao mesmo tempo, traz um ar reconfortante, um abraço quentinho e confortável. Uma história que vai te fazer rir e chorar, e um pequeno spoiler: com o tão esperado e pouco conquistado final feliz.

Conheça The Prom – o musical da Broadway que será adaptado pela Netflix

O livro, baseado no musical de 2018, acompanha Emma Nolan, uma adolescente lésbica que mora em uma pequena cidade de Indiana chamada Edgewater, nos Estados Unidos. O sonho dela é ir para o baile do colégio com a namorada Alyssa, porém a Associação de Pais impede que a jovem vá para a festa com uma pessoa do mesmo gênero, ameaçando cancelar o evento por completo. Neste meio tempo, Barry Glickman e Dee Dee Allen, duas estrelas decadentes da Broadway decidem transformar o desabafo da garota em uma causa.

“Eu não quero começar uma revolução. Eu não quero quebrar as barreiras ou ser um símbolo, e não me importo com o que outras pessoas pensam. Eu só quero dançar com você.”

Esta adaptação literária da obra traz uma divisão dos capítulos entre Alyssa e Emma, uma importante diferença do musical. A primeira vez que ouvi falar de “The Prom” eu esperava receber uma história focada no casal e não foi isso que recebi. Não estou querendo tirar a importância, força e qualidade do musical (que é simplesmente perfeito do seu jeito), mas o que temos é um enredo focado obviamente na Emma, mas também nesse grupo de atores que vem ajudá-la. Alyssa é apenas a namorada, sem muito foco nela.

Resenha | A grande chance de Ana Luna – livro leve sobre representatividade

Aqui finalmente temos uma história focada nas jovens, nos dois lados do casal. Com o espaço muito maior para desenvolvimento que não se limita em duas horas de uma peça, conhecemos o lado da Alyssa e a relação com a mãe, a relação da Emma com os pais e a avó, e também temos uma visão mais aprofundada do amor entre as duas, dos encontros às escondidas, os olhares, pequenos toques. Tudo isso enriquece a história e essas personagens que amamos.

Em contrapartida, os personagens adultos, os atores da Broadway, perdem espaço. Aqui eles são apenas coadjuvantes de algo que é muito maior do que eles. E a história não perde nada com isso. Inclusive, a falta de alguns personagens presentes na peça também não atrapalha em nada a história, apesar de poder causar um pequeno desconforto para fãs do musical em momentos específicos.

LesB Indica | Colette – longa-metragem sobre uma mulher à frente do seu tempo

O espaço para maior desenvolvimento também faz com que momentos dolorosos da trama consigam mexer ainda mais com os nossos corações. O sentimento de cansaço, angústia, de ter sempre que se privar de viver uma vida “normal” como os outros, tomar cuidados excessivos apenas por ser você, tudo isso fica ainda mais claro, mais direto. Já o humor, presente constantemente na peça, no livro ele está mais contido. Apesar da autora tentar trazê-lo, este não tem a mesma força aqui.

Outro ponto positivo no livro é a forma como Mitchell introduz as letras das músicas no texto. Já na primeira página começamos com uma “nota mental: não seja gay em Indiana”, frase do início da música “Just Breathe”, primeiro solo da Emma no musical.

LesB Indica | Nunca Fui Santa – uma mistura de comédia e seriedade que vale ser conferida

No geral, “The Prom: a festa de formatura” é um livro bastante simples. Tive poucas experiências lendo obras que são baseados em filmes (ou nesse caso numa peça) e normalmente eles parecem muito mecânico, como se faltasse algo. Não vou dizer que não senti isso aqui. Em alguns momentos, acontece. Ele aproveita diálogos e descrição idênticas ao musical, mas, ao mesmo tempo, traz muito mais, uma nova visão do universo para quem já o conhece, mas também uma ótima introdução para quem está conhecendo agora.

Entretanto, mesmo assim, ao meu ver este é um livro feito para quem já conhece “The Prom”, quem já ama essas personagens e está ansioso para mergulhar novamente e ainda mais nesse mundo, conhecer mais detalhes, se aprofundar na vida dessas pessoas. É um livro para quem já é fã. Mas, agora com o filme, não tem como não se tornar fã desse universo. Então a minha recomendação é assistir o filme e depois correr para o livro. Apesar de achar que o longa irá completar algumas lacunas deixadas pelo musical, o livro com certeza traz uma experiência extra interessante.

Grasielly Sousa

Grasielly Sousa

Jornalista nascida no Rio de Janeiro e atualmente morando em Fortaleza. Cresci assistindo filmes da Sessão da Tarde, Dragon Ball e Xena: A Princesa Guerreira. Constantemente falando coisas aleatórias sobre cinema, séries e tv e música.

Deixe uma resposta