Review | The Stripper – Primeira Temporada

Natalie Smith e Priscilla Pugliese estão juntas, mais uma vez, em nova websérie da produtora Ponto Ação. Em “The Stripper”, Priscilla interpreta a poderosa empresária Lauren Pugliese, enquanto Natalie se divide entre a doce Camila e a misteriosa dançarina Karla. Esta situação não tem nada haver com Ruth e Raquel, a história aqui é diferente.

Avalance: o enemies to lovers que a gente merece

Camila estava passando pelo seu pior momento quando foi convidada a ser uma dançarina de stripper na boate Imperium, após um período consegue emprego em uma grande empresa e passa a dividir seu tempo entre a  Imperium e a Pugliese Industries. De manhã é a competente Camila Smith, e de noite a sensual dançarina Karla. A sua vida ia conforme o planejado, porém ela não previu a chegada da poderosa Lauren Pugliese.

Era mais uma noite comum na Imperium para Camila/Karla, porém ao cruzar olhares com Lauren, tudo muda. A partir daquele momento, a empresária fica deslumbrada pela dançarina, tornando-a alvo de suas investidas, chegando a oferecer dinheiro para encontrá-la. Porém, como Camila/Karla é a intocável da boate, a oferta é recusada, o que deixa a empresária ainda mais interessada.

Review | Control Z – quando olho por olho, dente por dente se torna real

Na manhã seguinte, Camila é surpreendida ao descobrir que sua nova chefe na empresa era a mulher que a fascinou na noite anterior. A partir de então, a dançarina/assistente passará por diversas situações para esconder de Lauren sua verdadeira identidade.

Quem acompanha as duas atrizes sabe que ambas já trabalharam juntas em outras adaptações de fanfics sobre o suposto relacionamento entre as cantoras Lauren Jauregui e Camila Cabello. Porém, esta websérie em nada se assemelha as demais apresentadas. A produção está muito mais madura, e a narrativa te envolve desde o primeiro episódio. Esta jogada de brincar com duas personalidades que convivem em ambientes distintos, mas que entram em choque com a chegada da Lauren, é muito interessante e te instiga a querer assistir cada vez mais, justamente porque esperamos pelo momento da revelação.

Em um contexto geral, cenário, trilha sonora, direção e principalmente a escolha do elenco de apoio, especialmente no que diz respeitos as atrizes que interpretaram Ally (Nathy Diorio) e a Dinah (Maria Clara El-Bainy), “The Stripper” demonstra o quanto cresceu em termos de construção/técnica. As interações de Camila, Dinah e Ally são momentos bastante interessantes. A relação de amizade entre as personagens é o que a série precisava para quebrar toda a tensão existente entre as protagonistas.

Mas agora vamos falar sobre a torta de climão entre Camila/Karla e Lauren, porque afinal, a narrativa é centrada no relacionamento delas. É muito intrigante ver a maneira como tudo é traçado, não importa se a Camila é Camila, ou se a Camila é a Karla, quando ela se encontra com a Lauren a energia sexual é palpável. Mas a impressão que fica é a de que a partir do momento que a Lauren tiver a Karla, tudo vai acabar, porque o que há entre elas é somente isso, sexo. Com a Camila, as coisas são diferentes, porque a presidente da empresa se permitiu ser vulnerável com a sua gentil assistente. E sejamos sinceras, não resistimos a um plot em que a fria e calculista se deixa envolver pela doce donzela, e é isso que acontece na websérie.

LesB Indica | Disque Amiga Para Matar – série fantástica recheada de reviravoltas

Com seu jeitinho sexy e engraçado, “The Stripper” deixou um gostinho de quero mais! Então vou começar a campanha #RenovaTheStripper, porque preciso saber o que aconteceu naquele avião!

Lua Barros

Lua Barros

Libriana pertencente a casa de Corvinal, minhas três paixões são: vampiras, bruxas e lgbeteres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *